Como se fala por aí

É como se vê

 

      «“A alegação que a TAP tem tarifas pornográficas é inaceitável”, disse [Antonoaldo Neves, presidente executivo da TAP] em resposta ao deputado do PSD Paulo Neves» («TAP rejeita discriminação e tarifas “pornográficas” para a Madeira», Judith Menezes e Sousa, TSF, 13.09.2018, 18h19).

      Se eu já torço o nariz ao uso que se faz do adjectivo «obsceno» em casos semelhantes, quanto mais ao «pornográfico». Pobre língua nestas bocas.

 

[Texto 9913]

Helder Guégués às 19:00 | comentar | favorito (1) | partilhar
Etiquetas: