Tradução: «orgone»

Quase aristotélico

 

 

      «Segundo Reich, os orgons são átomos vibradores atmosféricos derivados do princípio da vida», lê-se na tradução. Mas no original é «orgones», que é também o que se lê em todas as obras em português sobre a energia vital cósmica, ou orgone, «descoberta» pelo médico e psicanalista austríaco Wilhelm Reich. Assemelha-se a órgano ou órganon, o nome atribuído pelos comentadores gregos ao corpus aristotélico sobre lógica e retórica. A ideia é que a lógica constituiria um instrumento (é o que significa «órganon») para extrair do conhecimento certo novas proposições demonstráveis, ao passo que a retórica serviria para tratar de questões sobre as quais o conhecimento é tão-somente provável e as conclusões contingentes.

      A ser como o tradutor verteu, seria órgon(s). Não está registado em nenhum dicionário que eu conheça.

 

[Texto 118]

Helder Guégués às 14:11 | favorito
Etiquetas: