«Aparelhístico», «truquismo»

Como falam os nossos políticos

 

 

      «Outro dirigente do partido, José Lello – o mais “socrático” dos deputados do PS –, resumiu ao DN numa palavra o que pensa da proposta: “Uma loucura!” Segundo acrescentou, a proposta “não garante diversidade” e permite “controlo aparelhístico”. Outra proposta debaixo de fogo é aquela que alarga o mandato do secretário-geral (e dos órgãos nacionais do partido) de dois para quatros anos, de forma a fazê-lo coincidir com as legislaturas da Assembleia da República. “Cheira-me a truquismo”, disse Lello. “É sinal de um líder fraco com medo do partido”, sublinha Pedroso» («Seguro acusado no PS de “golpe aparelhístico”», João Pedro Henriques, Diário de Notícias, 28.03.2012, p. 8).

      «Aparelhístico» e «truquismo»! Se o revisor antibrasileiro leu isto, não se aguentou: atirou com os aparelhos ao ar. Ainda se lembram do muito mais inócuo «clubístico» e do que ele dizia? Vejam aqui.

 

[Texto 1291]

Helder Guégués às 08:38 | comentar | favorito
Etiquetas: