Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Linguagista

«Porque/por que»

Fenda gratuita

 

 

      «Porque hão-de alguns portugueses escrever por que (em duas palavras), se não há lógica nem análise possível? Que palavra é aquele “que”? Se responderem que é um pronome, tem de estar em vez de um nome, isto é, há-de ter um antecedente ou referente. Qual é, então, esse nome ou referente, tão íntimo, implícito, subjectivo, que ninguém descortina e serve apenas, como fenda gratuita, para se perpetuarem dúvidas e confusões no ânimo de alguns redactores?» (Nem Tanto Erro!, de Américo F. Alves. Edição do autor, Braga, 1993, p. 33).

 

[Texto 1293]

4 comentários

  • Imagem de perfil

    Helder Guégués 21.06.2012 08:04

    Que digo... É uma excepção, e pode haver mais, naturalmente, à forma como o próprio Vieira — e conheço dezenas de passos na obra dele a atestarem-no — escreve a locução. 
  • Sem imagem de perfil

    Eugénia 21.06.2012 13:49

    «e conheço dezenas de passos na obra dele a atestarem-no».
    Alto lá, Helder, esta frase não foi um palpite, nem uma crença; foi uma afirmação.
    E eu digo-lhe que é uma mentira descarada.
    Vai ter de mostrar aqui essas tais dezenas de passos que diz conhecer de Vieira, ou retractar-se publicamente.
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 23.06.2012 22:43

    Vejo que a outra conversa mudou de lugar.
    Eu bem avisei a Eugénia que era melhor deixar o pessoal na escuridão.
  • Comentar:

    Comentar via SAPO Blogs

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.