«Milhão de milhões»

Eu não agradeço

 

 

      «Nos anos 1920, durante a República de Weimar, a Alemanha viveu um fenómeno de hiperinflação, em que chegaram a ser precisos quatro milhões de milhões de marcos para perfazer um só dólar americano. A instabilidade provocada por este constante aumento de preços acabaria por gerar tensões sociais e políticas que, em última instância, conduziriam à ascensão de Hitler ao poder» («Na Alemanha, o slogan mudou, mas a receita para a crise continua a mesma», Ana Rita Faria, Público, 8.04.2012, p. 22).

      Não nos surpreendemos duas vezes: já aqui tínhamos falado desta hiperinflação. Ana Sá Lopes, no i, escreveu então: «No auge da inflação, uma libra esterlina valia 4,3 biliões de marcos.» Não sei se é apenas aos jornalistas do Público que se recomenda que escrevam, «sempre que possível» (!), «milhão de milhões» em vez de «biliões». Temem pela nossa cabecinha, coitados.

 

[Texto 1337]

Helder Guégués às 12:36 | favorito
Etiquetas: