«Cidadania», de novo

A origem do mal

 

 

      «Na madrugada de 24 de Fevereiro de 1981, à 1h14, com o uniforme de capitão general dos Exércitos de Espanha, o rei Juan Carlos, numa transmissão directa da TVE do Palácio da Zarzuela, defendeu a Constituição, chamou à ordem as Forças Armadas na sua qualidade de comandante-chefe, e assim abortou o golpe de Estado iniciado horas antes com a ocupação do Parlamento. Este episódio e a condução da transição democrática granjearam o apoio da cidadania à monarquia» («Quem os viu e quem os vê. Rei Juan Carlos», Nuno Ribeiro, Público, 22.04.2012, p. 4).

      Do papel legitimador da repetição do erro. Daqui a uns anos, dir-se-á que se encontram não sei quantos milhares de ocorrências no Google.

 

[Texto 1410]

 

Helder Guégués às 08:22 | comentar | favorito
Etiquetas: