Gorilas na Casa Branca

Obscuríssimo

 

 

      «Onze membros das secretas são suspeitos de terem frequentado casas de prostituição durante a preparação de uma viagem de Barack Obama a Cartagena das Índias, Colômbia, para a Cimeira das Américas. Os agentes foram entretanto suspensos e foi aberto um inquérito interno» («Imagem dos ‘gorilas do Presidente’ manchada», Tangi Quemener, Diário de Notícias, 23.04.2012, p. 25).

      É uma tradução, pois Tangi Quéméner é «correspondant à la Maison Blanche, Agence France-Presse», pode ler-se na conta do Twitter. Vejam como escreveram Cartagena das Índias e não, como tantas vezes se vê, Cartagena de las Índias ou Cartagena de Índias. As aspas do título é que eram escusadas, independentemente de quase todos os dicionários afirmarem que gorila é somente o mamífero antropomorfo. Gorila ou gorilha, variante que nunca vi fora dos dicionários. Agora reparem: segundo o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, o étimo é o grego «górillai, mulheres africanas muito peludas». Hã?! No número 78 do Boletim da Real Academia Espanhola, o que se lê é que provém do latim científico gorilla, e este do grego górillai, o nome da tribo de mulheres peludas supostamente encontrada pelo cartaginês Hanão 510 anos antes de Cristo.

 

[Texto 1420] 

Helder Guégués às 19:28 | favorito
Etiquetas: