Candidatos a jornalistas

Há-de ser a maioria

 

 

      Martim Cabral, subdirector de Informação da SIC, em entrevista ao Diário de Notícias: «Uma coisa que acho positiva é que nove em cada dez são mulheres. Isso reflete-se nas redações, onde há cada vez mais mulheres. O que não há ainda, infelizmente, e não é só cá, é mulheres em cargos de direção. A parte negativa é que 70% deles não vão ser jornalistas. Hoje em dia, os candidatos a estagiários leem pouquíssimo. Eu tive uma resposta, que é absurda, mas exemplificativa. Perguntei-lhe ‘que jornais lês, como é que te manténs informada sobre o que se passa à tua volta?’ e ela respondeu ‘não leio jornais porque nós não demos essa cadeira’. Fiquei a olhar para ela, sem acreditar no que ela estava a dizer. Eu passo, seguramente, quatro horas por dia a ler no Ipad. Hoje em dia é tão fácil mantermo-nos informados que é quase inaceitável um estudante de jornalismo não ler jornais e não saber discutir comigo qual é o problema mais recente do primeiro-ministro, ou do PS, ou da Guiné Bissau!»

      «Quase inaceitável»?! Não sei é como é possível ser jornalista e não ler, pelo menos jornais.

 

[Texto 1479] 

Helder Guégués às 10:22 | favorito
Etiquetas: