«Desprezível/desprezável»

Que se pode desprezar

 

 

      «Vestígios à parte, a investigação considera “desprezível”, por ser “muito baixa”, a probabilidade estatística de um indivíduo acertar aleatoriamente o local do homicídio da jovem prostituta Filipa Ferreira (Cacia, Aveiro), não dando crédito à tese assumida por José Guedes após a detenção de ter ficcionado a confissão dos crimes» («‘Estripador’ recusou fazer exame de ADN», Júlio Almeida, Diário de Notícias, 25.05.2012, p. 18).

      Foi um polícia que falou assim? Então está tudo dito — ou quase. Desprezível usa-se, por exemplo, em relação a uma pessoa ou atitude dignas de desprezo, que merecem desprezo. Desprezável deve usar-se em relação a tudo aquilo que se pode desprezar, que não merece a nossa atenção. Assim, a probabilidade seja do que for só pode ser desprezável.

 

[Texto 1582] 

Helder Guégués às 09:56 | comentar | favorito
Etiquetas: