Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Linguagista

Pártenon, Pártenon, Pártenon

Tão difícil...

 

 

      «A par do Partenon, das Cariátides e do Teatro de Dionísio, a zona da Acrópole dotou-se agora de uma nova atração: a sumptuosa casa do ex-ministro da Defesa [Akis Tsochatzopoulos] acusado de branqueamento de dinheiro tornou-se numa espécie de templo... da corrupção» («Casa de ministro é um Partenon da corrupção», Anne-Sophie Labadie, Diário de Notícias, 29.05.2012, p. 25).

      Antiguidade clássica é com eles — sempre a direito! É Pártenon. É a forma consagrada pelo uso, pois que em português, como ensina Rebelo Gonçalves, a forma preferível é Partenão (p. 759 do Vocabulário da Língua Portuguesa). Mas não. Também de Pompeia diz que é a forma inexacta de Pompeios. O uso manda muito. Desconfio que Anne-Sophie Labadie não é vista nem achada nisto, pois que há-de ter escrito Parthénon.

 

[Texto 1613]

Comentar:

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.