Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Linguagista

Amálgamas e tradução

Falharam

 

 

      Reportagem de Rita Marrafa de Carvalho sobre experiências médicas em alunos da Casa Pia. Fala o biofísico João Brito: «Já haviam estudos que tentavam demonstrar que era um risco para a saúde a existência de amálgamas de mercúrio no organismo.»

      Na reportagem, ficou igualmente demonstrado como o substantivo «amálgama» é usado tanto no feminino como no masculino: «as amálgamas dentárias», «os amálgamas dentários».

      «A autoridade americana de saúde», disse a jornalista Rita Marrafa de Carvalho, «concluiu que a Universidade de Washington falhou. Foi repreendida e aconselhada a alterar consentimentos futuros, tudo em 2006, nove anos depois de já terem sido assinados pelos pais e crianças da Casa Pia.» «As palavras que está a usar, “reprimenda” e aaa, são palavras fortíssimas em relação àquilo que os Americanos costumam fazer», argumentou o neurologista Alexandre Castro Caldas. «Os Americanos», respondeu a jornalista, «escreveram “failed”, que é “falhou”. «Não, o failed não é exactamente falh, nesse... não é, a dizer... ahn, ahn... É, é chamar a atenção que podia ter acrescentado. Há aqui problemas de tradução que é preciso ter um bocadinho de cuidado.»

 

[Texto 1614]

1 comentário

Comentar post