Emília-Romanha e Módena, de novo

Ah, assim está bem

 

 

   «Cinco dezenas de réplicas sentiram-se durante a noite na região italiana de Emília-Romanha, atingida nos últimos dez dias por dois fortes sismos que causaram a morte de 23 pessoas. Os 14 mil desalojados vivem com medo, sem saber quando poderão voltar a casa. Ontem, foi encontrado o corpo de um trabalhador que se encontrava desaparecido desde o abalo de magnitude 5,8 na escala de Richter, registado na terça-feira, elevando para 17 o número de vítimas mortais. O primeiro sismo, a 20 de maio, tinha causado seis mortes. O presidente da região, Vasco Errani, prometeu que “a reconstrução começará rapidamente e será bem feita”. O Ministério Público de Módena abriu um inquérito aos desabamentos de edifícios, com o procurador Vito Zincani a falar de uma “política suicida” de construção» («50 réplicas numa noite e 14 mil desalojados em Itália», Diário de Notícias, 31.05.2012, p. 26).

 

[Texto 1624]

Helder Guégués às 16:55 | comentar | favorito
Etiquetas: