Os ditongos ‘iu’ e ‘ui’ não têm acento

Falar por falar

 

 

      «Mesmo numa escola secundária lisboeta a dar pelo nome de Camões, Os Lusíadas não deixavam de ser um dos receios dos alunos que ontem fizeram as provas de Português do 12. º ano» («As redes sociais ao lado de ‘Os Lusíadas’ e da ‘Mensagem’», Pedro Sousa Tavares, Diário de Notícias, 19.06.2012, p. 39). O que tem uma coisa que ver com a outra, senhor jornalista? Por essa ordem de ideias, diríamos que mesmo num jornal deu estes erros: «O autor, como se previa, saíu mesmo no enunciado. Mas, no final, eram poucos os que se queixavam da exigência do exame. [...] “Penso que terei nota positiva”, disse o estudante, que espera candidatar-se a um curso de cinema mas tem ainda uma disciplina do secundário para tentar concluír. Diogo Bugalho, 21 anos, que veio fazer o exame para concluír o secundário e poder candidatar-se a um curso de Informática, também não sentiu “grandes dificuldades” com os autores e a parte gramatical da prova. Mas o que o deixou particularmente optimista foi o tema do último grupo, em que os os alunos são convidados a escrever um texto, não podia ter sido mais adequado: “para mim foi o mais fácil. Tinhamos de falar sobre as redes sociais e sobre a forma como estas se relacionam com a busca pela popularidade”, descreveu.»

 

[Texto 1703]

Helder Guégués às 08:21 | favorito
Etiquetas: