Léxico: «sovaqueiro»

Faltam outras

 

 

      «Outra preciosidade é o trabalho solitário do agente Abraão Cunha, da Polícia de Investigação Criminal, que fez um álbum de reconhecimento de “gatunos” e “gatunas”, com fotos de frente, perfil e chapéu. O índice indica o tipo de criminoso: gatunos de especialidade, de arrombamento, carteiristas ou sovaqueiros (entravam nas lojas e escondiam artigos no sovaco). Nas mulheres, referia gatunas, angariadoras de prostituição, ladras de estendais e prostituição clandestina» («Transparências foram o avô do retrato-robô», Luís Fontes, Diário de Notícias, 23.07.2012, p. 20).

     Esta até está, como adjectivo, no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora: «diz-se do ladrão que esconde os roubos debaixo do braço». Mas porquê apenas como adjectivo? «Ó tenente, que linguagem é essa, você pensa que eu sou algum sovaqueiro? Olhe que posso mandá-lo prender» (Espingardas e Música Clássica, Alexandre Pinheiro Torres. Lisboa: Editorial Caminho, 1995, p. 166).

 

 

 [Texto 1862]

Helder Guégués às 08:47 | comentar | favorito
Etiquetas: