Botija de gás/bilha de gás

Também eu

 

 

      «Felizmente não estava ninguém no apartamento quando a bomba explodiu. Bomba? A polícia, primeiro, negou que tivesse sido uma bomba: fora, dizia, uma botija de gás. Um perito em explosivos, porém, depressa concluiu que havia sido realmente uma bomba» (A Substância do Amor e Outras Crónicas, José Eduardo Agualusa. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 2003, 2.ª ed., p. 90).

      Também prefiro dizer e escrever «botija de gás». Nunca escrevi nem disse «bilha de gás».

 

[Texto 2165]

Helder Guégués às 12:57 | comentar | favorito
Etiquetas: