Açoriano, açoreano, açorano, açorense

Pois é, mas

 

 

      Aqui esta professora universitária escreve então «legado camoneano». Ora, como sabemos, o adjectivo relativo a Camões ou ao que se assemelha ao estilo de Camões grafa-se com i, camoniano. No Ciberdúvidas, pode ler-se: «No entanto, alguns dicionários registam a forma açoreano como variante ortográfica de açoriano, uma vez que até 1911 houve grande variação na grafia da vogal de ligação. Note-se ainda que foneticamente não há diferença entre iano e -eano.» Não sei se é assim, se há dicionários que registam «açoreano». Sei é que se vê com alguma frequência. Mesmo em obras revistas: «Eu queria alçar à minha janela uma bandeira açoreana em homenagem ao dom de José Medeiros» («É sempre a mesma canção», in Crónica Feminina, Inês Pedrosa. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 2005, p. 389). Alçar uma bandeira...

      Vários autores — e entre eles Leite de Vasconcelos e Botelho de Amaral — defendem que é «açoreano» que se deve escrever, ou, se não se quiser manter o e, «açorano». Estes autores estabelecem comparação com o topónimo Maçores, cujo gentílico é maçorano.

 

[Texto 2214]

Helder Guégués às 10:14 | comentar | favorito
Etiquetas: