«Enquanto damas»

Agora não

 

 

      «Não lhes aprovamos maiores estudos, enquanto Damas. Preferimos vê-las revolvendo jasmins em vez de um Tito Lívio, rociando-se com água de âmbar e não suando com a Arte Poética de Escalígero», escreveu D. Francisco de Portugal (1585–1632) na Arte de Galanteria. Cá está: «enquanto damas».

 

[Texto 2215]

Helder Guégués às 16:19 | favorito
Etiquetas: