«Estada/estadia»

Agora ainda se lê mais

 

 

      «Estada. — Em vez disto lê-se agora muito estadia: “A estadia do negus na Palestina”. Morais não consigna estadia. Figueiredo apresenta esta palavra como têrmo jurídico: demora forçada de um navio no pôrto» (Glossário de Incertezas, Novidades, Curiosidades da Língua Portuguesa, e também de Atrocidades da Nossa Escrita Actual, Agostinho de Campos. Lisboa: Livraria Bertrand, 1938, p. 122).

 

[Texto 2232]

Helder Guégués às 09:34 | favorito
Etiquetas: