Esqueceram-se do «pôr»

É inadmissível que se escreva assim

 

 

      «Rosário Rodrigues, desempregada de 44 anos, não tem medo do trabalho duro da agricultura. Instalada desde 2007 na aldeia de Pedra do Altar, no concelho de Proença-a-Nova, há muito que se agarrou à terra para dela tirar muito do que coloca na mesa, onde se senta com a filha» («O mercado onde o campo entra no saco de quem compra», Célia Domingues, Diário de Notícias, 21.10.2012, p. 32).

      «Coloca na mesa»! Como é que um jornalista pode escrever assim? Ouviu alguma vez os pais ou os avós falarem assim? Isto está a merecer uma petição no Facebook (que nunca será subscrita por mim, porque não estou no Facebook).

      «— O que eu disse, basta. E se o senhor entendeu, para que dizer mais? Monsenhor põe na mesa a mão enorme» (O Casamento, Nelson Rodrigues. Rio de Janeiro: Agir, 2006, p. 175).

 

[Texto 2234]

Helder Guégués às 18:49 | favorito
Etiquetas: