«Ilharga da cama»

Levo o aparador Henrique II

 


      À ilharga de no sentido de ao lado, ao pé já eu conhecia. «Fazia o mesmo no guarda-roupa; e, fechadas as portas e janellas, se deitava com uma espada ou montante á ilharga da cama» (Memoria Historica da Villa de Barcellos, Barcelinhos e Villa Nova de Famalicão, Domingos Joaquim Pereira. Viana: Tipografia de André J. Pereira & Filho, 1864, p. 30). Ontem, contudo, o antiquário referiu-se à barra da cama dessa forma. «Um recadinho, vinha por um recadinho, um pedido. Acabou por entrar, encostou-se à barra da cama que era de ferro» (Nocturno em Macau, Maria Ondina Braga. Lisboa: Editorial Caminho, 1991, p. 12). No Brasil, ao que parece, ao lado oposto à cabeceira dão o nome, que não vejo dicionarizado, de peseira.

 

[Texto 2245]

Helder Guégués às 08:37 | favorito
Etiquetas: