«Pôr em marcha»

Saramago foi o último

 


      Pôr é para esquecer. Pelo menos nos próximos anos. «Colocar em marcha o novo mapa judiciário, que reduz para 23 as atuais 231 comarcas, vai custar cerca de 29 milhões de euros. A reforma da organização judiciária em curso, que deverá entrar em vigor ainda durante 2013, implica obras de adaptação em vários edifícios» («Novo mapa judiciário vai custar 29 milhões», Licínio Lima, Diário de Notícias, 29.10.2012, p. 18).

      «Quero-os aqui em três quartos de hora, às dez em ponto, disse, teremos de discutir, aprovar e pôr em marcha os paliativos necessários para minorar as confusões e balbúrdias de toda a espécie que a nova situação inevitavelmente criará nos próximos dias» (As Intermitências da Morte, José Saramago. Lisboa: Bis/Leya, 2011, 4.ª ed., p. 114).

 

[Texto 2261] 

Helder Guégués às 17:56 | comentar | favorito
Etiquetas: