Ortografia: «braço direito»

Não o real, o outro

 

 

      «Já Ana, para além de ser o braço direito da diretora, é uma mulher fatal que sonha ser atriz» («Nova ‘sitcom’ brinca com o jornalismo e a crise», Cynthia Valente, Notícias TV, n.º 250, p. 27).

      Bem diz Montexto: sempre mais compridos e complicados, isto é, o pior do barroco. E, para distinguir o sentido denotativo do conotativo, não se escreve, neste caso, «braço-direito»? Não há tempo para aperfeiçoar...

 

[Texto 2263]

Helder Guégués às 22:01 | comentar | favorito
Etiquetas: