Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Linguagista

Sobre «primeiro-imediato»

Está aí alguém da Marinha?

 

 

      «O primeiro-imediato recebeu o dinheiro que Boraxis lhe entregou e deu-lhe as instruções dos nossos quartos» (Acheron, Sherrilyn Kenyon. Tradução de Maria Margarida Malcato e revisão de Ayala Monteiro. Lisboa: Casa das Letras, 2011, p. 45).

      Posso estar enganado, mas com hífen creio que apenas em traduções a podemos encontrar. No Proz, precisamente a propósito da tradução de ship’s first mate, afirmam, seguindo, ao que me parece, o que se defende no Dicionário de Termos Navais, da autoria do Cmdt. António Marques Esparteiro, que «não existem primeiros, segundos ou terceiros imediatos...». Só imediatos.

 

[Texto 2503]

5 comentários

Comentar post