«Se não/senão»

Vejamos se ainda se lembram...

 

 

      Será assim? «Acusar-se Carlos Azevedo de assédio homossexual é-me difícil se não impossível de compreender. Essas coisas, recomenda a prudência que se pratiquem às escondidas e na intimidade (embora eventualmente se executem às claras e na praça pública)» («Bispo Carlos Azevedo: um testemunho», Henrique Manuel Pereira (professor na Universidade do Porto), Público, 27.02.2013, p. 43).

      Ou assim? «É extremamente difícil, senão impossível, em muitos casos, distinguir o autor pelo estilo das pequenas composições de redondilha. Por isso, a tendência para as incorporar, salvo apocrifia declarada, é desculpável» (Álvaro J. da Costa Pimpão, na introdução às Rimas de Camões. Coimbra: Universidade de Coimbra, 1953, p. xxxix).

       Todas as respostas aqui: «Tradução: “Sinon”», o quinto texto mais comentado do blogue.

 

[Texto 2633]

Helder Guégués às 16:09 | favorito
Etiquetas: