Como se escreve nos jornais

Eu não usaria

 

 

      «Marcelo Rebelo de Sousa, que acompanhou a onda de estudantes até à porta, diria depois à SIC que os jovens da JSD deviam ter saído da sala antes de Passos para formarem uma espécie de cordão de defesa e abafarem o protesto. Mas ontem isso acabou por não acontecer porque o próprio Passos, numa imagem de bravata, quis enfrentar o protesto — como que o desvalorizando» («Primeiro-ministro recebido por estudantes de Direito com coelho enforcado», Maria Lopes, Público, 28.02.2013, p. 9).

      Há-de ser a parte de opinião... Não será excessivo usar a palavra bravata ­— ameaça arrogante; fanfarronice; bazófia; jactância — neste contexto?

 

[Texto 2641]

Helder Guégués às 10:23 | favorito
Etiquetas: