Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Linguagista

«Na qualidade de»

«Não há remédio senão usá-la»?

 

 

      «NA QUALIDADE DE. Tal modo de dizer recebêmo-lo de França. Mais natural é o emprêgo de como, nas funções de, ou, com circunlóquio, exercendo (eu, êle, etc.) o cargo de, etc. Camilo lançou mão da locução pouco ou nada vernácula:

 

          na qualidade de conselheiro de estado e guerra...”

 

                                                  (Luta de Gigantes, 168).

 

          “na qualidade de capitão-geral do reino...”

 

                                                  (Luta de Gigantes, 220).

 

    Claro que, se a imprópria expressão ganhar raízes, não há remédio senão usá-la. Mas cumpre não esquecer ou não postergar as equivalentes portuguesas» (Estudos Vernáculos, Vasco Botelho de Amaral. Porto: Editora Educação Nacional, 1938, p. 43).

 

[Texto 2765]

2 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Montexto 27.05.2014 20:13

    Já começa a ser costume verem-se aqui traduções com palavras ou giros frandunos nem sequer empregados nos originais: por ex. «implementar».
    Mas há-de acontecer, ou já aconteceu, com o horrendo «é suposto saber português», etc.
    Chamam-lhe afunilamento, se bem me lembro das preciosas lições do especialista.      
  • Comentar:

    Comentar via SAPO Blogs

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.