«Nobody’s perfect»

Nunca se enganava, hein?

 

      «A iniciativa começou logo a fugir ao guião quando Cavaco Silva ouviu Braga de Macedo a listá-lo como o 19.º Presidente da República. “Décimo nono?”, questionou o professor logo em modo de prova oral. “Parece-me que é 18.º...”, acrescentou. “Ó Jorge, nobody’s perfect”, rematou de braços abertos perante o seu ex-ministro das Finanças. O problema é que o aluno é que tinha razão» («“Ó Jorge, nobody’s perfect”», N. S. L., Público, 22.06.2013, p. 6).

      Bem, parece-me mais grave do que alguém não se lembrar do próprio número de telefone. O aluno ter razão, caro N. S. L., não é, a todas as luzes, nenhum problema.

[Texto 3003]

Helder Guégués às 16:15 | favorito
Etiquetas: