Léxico: «agrumelar»

Muito poucas vezes

 

 

      É uma tradução portuguesa de uma obra de Umberto Eco, e nela pode ler-se que no Finnegans Wake, de Joyce, «não só o inglês, mas as línguas de todos os povos, reduzidas a um vórtice de fragmentos em liberdade, são recompostas e de novo desfeitas num turbilhão de novos monstros lexicais, que se agrumelam por um instante para depois tornarem a dissolver-se, como numa dança cósmica de átomos, em que a escrita se estilhaça até ao étimo — e não é casual a analogia fónica entre étimo e átomo que induziu Joyce a falar em relação à sua obra de abnihilation of the ethym».

      Não é verbo que se veja muito por aí, este agrumelar. Tão pouco, aliás, como a variante agrumular — coagular em grúmulos. Ainda não foi expulso dos dicionários.

 

[Texto 3042]

Helder Guégués às 12:12 | favorito
Etiquetas: