«Linha», uma acepção

Desalinhado

 

 

      «Até aqui tinha tocado sempre de dia, era sempre o empreiteiro. O coração dispara, descompassado. Está, não, é uma casa particular, boa noite. O ouvir de uma voz revitalizou-o, não tanto como a linha de coca que cheirou logo de seguida, mas ajudou» (Atrás de Ti, Pedro Mendonça. Vialonga: Coisas de Ler, 2001, p. 52).

      Só com recurso ao Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, não se fica a saber o que é uma linha de coca.

 

  [Texto 3256]

Helder Guégués às 09:47 | comentar | favorito
Etiquetas: