«Casa arbórea»

Poetas

 

 

      «Logo à entrada do bosque existia uma árvore da China, de tronco duplo; na realidade eram duas árvores, mas os ramos estavam tão entralaçados que se podia andar de uma para a outra, tanto mais que eles se encontravam ligados por uma casa arbórea» (A Harpa de Ervas, Truman Capote. «Colecção Latitude». Tradução de Cabral do Nascimento. Lisboa: Estúdios Cor, 1957, p. 26).

      Não é muito melhor do que «Rua Áurea», essa é a verdade. Acho que foi a alma de poeta de Cabral do Nascimento que ali se derramou.

 

  [Texto 3350] 

Helder Guégués às 22:30 | comentar | favorito
Etiquetas: