«Por mãos alheiras»!

Aqui mesmo

 

 

      Não têm fim os acertos e os desacertos a que podemos assistir na nossa vida. Depois da «faca de dois legumes» de Jaime Pacheco e do «pau de dois gumes» de Nuno Azinheira, eis outro disparate de nos fazer chorar. Ontem, numa reportagem, entrevistavam jovens que estão a aprender a lutar contra o êxodo rural. Em Rio Maior, encontraram Luís, um jovem que está a concluir o mestrado em Psicologia. «Pelo caminho», afirma o repórter, «reinventou o negócio de família.» Demos a palavra ao jovem: «Não quisemos deixar ficar as tradições por mãos alheiras ou quisemos pegar naquilo que nós nos orgulhávamos muito.»

 

  [Texto 3362] 

Helder Guégués às 09:42 | comentar | favorito
Etiquetas: