«Mezanino/sobreloja»

Duas perguntas

 

 

      «A partir de uma escola com a tipologia típica da arquitectura do Estado Novo, a equipa de Fernando Maia Pinto apostou no máximo aproveitamento do espaço: o edifício principal foi desmultiplicado em três pisos, que acolhem um arquivo na cave, um auditório e sala de exposições no piso térreo, e um mezanino também para exposições» («Mário Cláudio, um vizinho em Paredes de Coura», Sérgio C. Andrade, Público, 20.10.2013, p. 39).

   Pior ainda é quando os autores querem deixar, à viva força e a despropósito, o termo em italiano, mezzanino. E agora uma pergunta: «sobreloja» não é exactamente o mesmo? E porque é que os dicionários, tão lestos noutros casos, não fazem aqui uma remissão?

 

  [Texto 3412]

Helder Guégués às 12:34 | favorito
Etiquetas: