Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Linguagista

Sobre «marcelismo»

A gente pasma

 

 

      «Um dia, em 1984 ou 
85, no meio de uma daquelas zaragatas em que os portugueses são especialistas, escrevi que o fim do “marcelismo” tinha sido a época mais feliz da minha vida. A indignação dos jornalistas foi grande: só um monstro podia gostar de viver sob uma ditadura» («Quem nos toma a sério?», Vasco Pulido Valente, Público, 1.12.2013, p. 56).

      É curioso, e sintomático?, que o vocábulo «marcelismo» — que já ouvi e li vezes sem conta, até em títulos de livros — não esteja no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora. Digamos que não é exactamente o mesmo que não registar «guterrismo».

 

  [Texto 3610]

Comentar:

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.