«Império do Sol Nascente»

Um dia saberão

 

 

      «O problema é que o consumo das famílias vale cerca de 60 por cento do produto interno bruto do império do sol nascente, pelo que a manutenção deste tipo de tendência pode ter graves consequências no futuro» («Queda do consumo privado e terramoto empurram Japão para a recessão técnica», José Manuel Rocha, Público, 20.05.2011, p. 26).

   A correcta grafia dos prosónimos é matéria ainda incompreendida por jornalistas e revisores. Relembro alguns: Arco Atlântico, Capital do Móvel, Celeste Império, Cidade Condal, Cidade das Acácias, Cidade do Cristo Rei, Cidade dos Arcebispos, Cidade dos Doutores, Cidade dos Pináculos Sonhadores, Cidade dos Ventos, Cidade Ferroviária, Cidade Invicta, Cidade Luz, Cidade Maravilhosa, Continente Negro, Hexágono, Império do Sol Nascente, Lusa Atenas, Meca do Cinema, Nação Arco-Íris, Novo Continente, Novo Mundo, País das Pampas, País das Montanhas, País das Tulipas, País dos Cedros, Planeta Vermelho, Riviera Inglesa, Tecto do Mundo, Terras de Sua Majestade, Tigres Asiáticos, Velho Continente, Velho Mundo, etc.

 

[Texto 38]

Helder Guégués às 23:39 | comentar | favorito | partilhar
Etiquetas: