02
Dez 20

Léxico: «adenoviral»

Serás a primeira

 

      «Ao contrário de outras vacinas internacionais cujos ensaios clínicos estão mais avançados e que estão a ser produzidas a partir de vetores adenovirais ou vírus inativos, este fármaco cubano é baseado numa proteína recombinante» («Cuba anuncia mais duas vacinas e já conta com quatro possíveis fármacos», Diário de Notícias, 27.11.2020, 7h44).

 

[Texto 14 412]

Helder Guégués às 09:30 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «nucleossíntese»

Falta o mais útil

 

      «“Em condições laboratoriais, são reproduzidas as reações de fusão nuclear que ocorrem no interior das estrelas, num processo denominado nucleossíntese estelar, podendo vir a ser uma das tecnologias do futuro para a geração de energia elétrica renovável, limpa e mais barata”, acrescenta José Figueira [administrador do ISQ], no comunicado do ISQ» («ISQ ganha contrato de €2,7 milhões para testar energia nuclear de nova geração», Hugo Séneca, Expresso Economia, 10.11.2020, 19h54).

      Encontramo-lo, na Infopédia, num dicionário bilingue e em dois textos de apoio. Falta o mais útil — a sua inclusão e definição no dicionário geral.

 

[Texto 14 410]

Helder Guégués às 09:00 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «mesolímbico»

Outra que tal

 

      «Iniciar uma nova actividade, um novo desporto, aprender a tocar piano, começar a pintar, avançar com novos estudos, etc., tal como ficar apaixonado, activa no cérebro os mesmos mecanismos de recompensa, de bem-estar ­— o circuito da dopamina mesolímbica —, que a nicotina dos cigarros, o álcool e as drogas, incluindo a heroína e a cocaína» («Algo de novo», Fernando Ilharco, «Domingo»/Correio da Manhã, 4.10.2020, p. 6).

 

[Texto 14 409]

Helder Guégués às 08:45 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «peplómero»

Não podemos esperar

 

      No episódio de segunda-feira do programa Amanpour Shows, na RTP 3, foi entrevistado Noubar Afeyan, o co-fundador e presidente da farmacêutica Moderna, que explicou assim o funcionamento da vacina daquela empresa: «Neste caso, a vacina é uma molécula que codifica a proteína do peplómero, essa imagem representativa que as pessoas conhecem do coronavírus.» Ora, o tradutor, Fernando Palma Neto, não ia pedir licença aos lexicógrafos para usar a palavra peplómero, não é? Não está dicionarizada, paciência.

 

[Texto 14 408]

Helder Guégués às 08:30 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «lava-olhos»

E nos jornais

 

      O Armando comprou um lava-olhos para a oficina. Quase 250 euros. Não precisarás também de um, Porto Editora?

 

[Texto 14 407]

Helder Guégués às 08:15 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
01
Dez 20

Léxico: «aziado»

Não está em muitos

 

      «Mais uma lesão, Salah aziado, dois golos anulados, um penálti nos descontos: Klopp sofre de síndrome SJNC (Só Jota Não Chega)» (Bruno Roseiro, Observador, 28.11.2020, 15h54). «Queria pesquisar adiado, afiado, aliado, aviado, azado, aziago, azoado

 

[Texto 14 404]

Helder Guégués às 09:00 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
30
Nov 20

Léxico: «lechiguana | lecheguana»

Mel venenoso

 

      «Que memória consoladora para um viajante que durante seis anos (1816-1822), atravessando o “sertão brabo” e a fera floresta, quase morrera devido à ingestão de mel venenoso da “vespa lechiguana”, enfrentara os minúsculos “bicho-de-pé” (uma espécie de pulga que penetra a carne do hospedeiro quando se encontra adormecido e nela chega a pôr ovos), as onças e todos os predadores que muito legitimamente defendiam o seu habitat e os seus estômagos!» («O riso de uma borderline», Susana Neves, Tempo Livre, Set-Out. 2020, p. 9). (Pena o erro no plural: é «bichos-de-pé».)

 

[Texto 14 403]

Helder Guégués às 13:00 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «samaúma»

Não queremos isso

 

      «Ao escritor Alberto Pimentel, vereador do pelouro dos jardins do Município de Lisboa no princípio do século XX, devemos uma das mais preciosas descrições de como era dormir sobre samaúma ou sumaúma» («O riso de uma borderline», Susana Neves, Tempo Livre, Set-Out. 2020, p. 9).

      Atenção às variantes, Porto Editora. Temos larguíssimas centenas, quando não milhares, de variantes. Desprezá-las ou silenciá-las só mostrará a nossa estultícia.

 

[Texto 14 402]

Helder Guégués às 11:00 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,