Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linguagista

As confusões de sempre

Difícil, não é?

 

      «Os cenários mais catastróficos — como o de uma nova era glaciar que cubra o mundo já em 2100 — assustam. Mas parece que a economia (à beira do caos?) vai continuar a levar a melhor sobre o ambiente» («O Preço Certo», João Miguel Salvador, Expresso Curto, 12.11.2021). Eles acham que sabem, mas nós bem vemos, uma e outra vez, que não sabem. João Miguel Salvador, é era glacial. É que — por uma vez, consulte um dicionário — glaciar é apenas substantivo.

 

[Texto 15 676]

Mais confusões

Olhe que não

 

      «Ainda hoje ao almoço estava a observar várias crianças portuguesas que, à mesa com os pais, viam o Luccas Neto no Youtube e (pasme-se!) conseguiam conversar tranquilamente com os circundantes em português de Portugal» («Linguística para psicólogos. Precisa-se», Margarita Correia, Diário de Notícias, 13.09.2021, p. 28).

      A cronista queria escrever circunstantes, isto é, as pessoas que estavam à volta das crianças. Circundante é outra coisa: é meramente adjectivo e significa «que circunda, que rodeia». E já que aqui estamos, deixem que diga que não compreendo a pontuação do título. Onde está ponto, devia estar vírgula: «Linguística para psicólogos, precisa-se». Já quanto ao fundo da crónica, concordo: a reportagem «O Brasil está a invadir o vocabulário dos mais novos», publicado na Notícias Magazine a 26 de agosto, expressa uma opinião completamente desinformada quanto à linguística.

 

[Texto 15 454]