«À la», de novo

Não era óbvio

 

      «Note-se que não quero estar aqui a forçar paralelismos, por muito popular que o professor Boaventura seja na América Latina e muito amor exale pelos regimes bolivarianos. Felizmente, vivemos num país onde os
cantos de sereia da esquerda à la Podemos atingem uma fatia muito pequena do eleitorado» («Espanha e a ciência cri-cri», João Miguel Tavares, Público, 23.04.2015, p. 48).

      Já tivemos oportunidade de falar aqui desta locução adverbial, à la, ou seja, à maneira de, no estilo de, à. Não avisámos então, porque me parecia óbvio, que o que se segue não tem de vir em itálico.

 

[Texto 5784]

Helder Guégués às 10:16 | favorito
Etiquetas: ,