Ainda o plural de «avô»

Assim, ainda é mais óbvio

 

      «Avós, avôs. Seria conveniente aplicar a primeira forma ao plural de avó», afirmou Botelho de Amaral, e decerto que se lembram de eu aqui o ter citado. Está, pelo menos, na memória de alguns, pois o leitor Gonçalo Esteves acaba de me mandar o excerto abaixo da obra As Coisas, do poeta e músico brasileiro Arnaldo Antunes. O leitor pergunta a si próprio «se o que ele julga ser um símbolo de valor emocional não será mais do que uma falha no entendimento da nossa língua (uma discrepância que prova exactamente o contrário do que ele quer ressaltar)».

 

[Texto 5597]

avô.png

 

Helder Guégués às 12:59 | comentar | favorito
Etiquetas: ,