Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Linguagista

AO90 e sua aplicação

Nem cinquenta anos chegarão

 

      «Nada sobre a cor do cabelo, da pele ou dos olhos, tão-pouco sobre a forma dos seios, lábios ou mamilos, a dimensão das coxas ou a textura dos pêlos púbicos, nem uma palavra sobre os braços estarem tonificados, nem sobre o tamanho da cintura, ou sobre ela depilar as axilas e pintar as unhas dos pés» (O Homem Que Via Tudo, Deborah Levy. Tradução de Alda Rodrigues. Lisboa: Relógio D’Água, 2019, p. 33).

      Já o disse mais de uma vez: nem dentro de cinquenta anos as regras do Acordo Ortográfico de 1990 estarão totalmente apreendidas. E, no caso, temos a agravante de o texto ter passado pelos olhos e pelas mãos de uma tradutora e de um revisor. Nem assim. Com o AO90, é «pelo/pelos». A meu ver, em vez de tentames ineptos, precisamos é de voltar à ortografia de sempre — com os erros de sempre, mas muito menos e menos graves.

 

[Texto 12 575]