Aportuguesamento: «búnquer»

Eles querem lá saber

 

      «Em 1940, pouco tempo depois de entrar na Segunda Guerra Mundial ao lado da Alemanha nazi, o ditador italiano Benito Mussolini dava ordens para que se iniciasse a construção de um bunker nos jardins da Villa Torlonia, junto ao palácio que entre 1922 e 1943 usou como residência oficial — um bunker que, a julgar pelas eufóricas declarações de que enfrentaria as bombas aliadas sozinho na varanda, não estaria propriamente disposto a frequentar» («Roma vai abrir ao público o bunker de Mussolini», Inês Nadais, Público, 28.10.2014, p. 29).

      Como se a palavra não andasse por aí aportuguesada há anos — e tão facilmente! — em búnquer.

 

[Texto 5192]

Helder Guégués às 07:49 | comentar | favorito
Etiquetas: