«Arriar forte e feio»

Talvez amanhã

 

      Grande inépcia, a de Teresa Leal Coelho. (E que tal se cortasse essa franja, para começar?) Ah, mas esperem, este blogue é de questões linguísticas. Corta!

      Bem, de vez em quando continuo a ver confusões entre arriar e arrear, de que já aqui tenho tratado. Vejamos: «Nem sempre tudo corria bem e em paz com os anjos. Também sabia ser bera e arrear forte e feio» (Na Boca da Infância, António Damião. Lisboa: Editorial Caminho, 1988, p. 36). António Damião escorregou aqui: é arriar forte e feio. Bater, dar pancada. Mas hoje também li que certo picolho conspícuo (posso dizer «picolho»? O Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora encolhe os ombros de papel) tinha «vincada preferência por homens mais velhos que lhe arriassem forte e feio». Ainda está para vir o dicionário que recolha exaustivamente todas as acepções de todas as palavras que usamos no dia-a-dia.

 

[Texto 8179]

Helder Guégués às 15:04 | comentar | favorito