As confusões do costume

Malsorteada ortografia

 

      «Com Zizou manteve uma relação de cinco anos, feita de avanços e recuos, de encontros furtivos num apartamento alugado na Place de Clichy, de separações tempestuosas e reencontros fatais nos cabarés de Montmartre. [...] Voltarão a encontrar-se fugazmente em 1966, e passam a noite juntos na véspera da despedida do cantor do Olympia e dos palcos, quando Brel trocou a música por uma mal-sucedida experiência no cinema, como actor e realizador» («Estamos quites, pá», António Araújo, Diário de Notícias, 14.10.2018, 6h07).

      Não é António Araújo jurista? Então, não percebo. Escreveu certa vez Cristóvão de Aguiar no blogue A Destreza das Dúvidas, e já o lembrei algures: «Conta-se uma história verdadeira de um professor da Faculdade de Direito que, numa prova oral, teria mandado o aluno embora, porque este teria dito que vivia num quarto alugado. Ao ouvir isto, o professor respondeu-lhe “Com que então vive num quarto alugado; o melhor será agora arren­dar um automóvel e ir já para o seu quarto estudar melhor a matéria...”» É malsucedido que se escreve, pobre, malsorteada ortografia. Nos jornais, a revisão é agora um luxo inalcançável.

 

[Texto 10 105]

Helder Guégués às 09:54 | favorito
Etiquetas: ,