As confusões do costume

Não é a primeira

 

      Vamos lá à boa acção do dia. «Que os deputados que vão intervir nestas audições tenham querido ver a exposição parece razoável — quanto mais não seja porque vale a pena vê-la —, mas ao organizarem a visita deste modo, convinha perceber o que pretendiam ao certo esclarecer» («Serralves: o estranho caso do director que se autodestruiu», Luís Miguel Queirós, Público, 16.10.2018, p. 36).

      Temos de dizer a Luís Miguel Queirós que não é assim, está errado. Mas quase acertava: quando mais não seja, isto é, quando por outra coisa não for.

 

[Texto 10 133]

Helder Guégués às 14:05 | comentar | favorito
Etiquetas: ,