As DST nos dicionários

Ninguém pediu essa diversidade

 

      «No ano passado o número total de casos notificados de gonorreia, sífilis e clamídia, doenças sexualmente transmissíveis (DST), aumentou 33%, face a 2017, para os 2558 registos» («Doenças sexualmente transmissíveis aumentam também entre os mais de 65», Joana Amorim, Jornal de Notícias, 14.07.2019, p. 6).

      Com a segunda juventude que agora é proporcionada aos que chegam, relativamente saudáveis, aos 65 anos, e dada a enorme oferta, é natural. Associado, não o esqueçamos, à ignorância e ao desmazelo. Adiante. Das três doenças, gonorreia, sífilis e clamídia, para o dicionário da Porto Editora, só a primeira é explicitamente (a definição começa com estas palavras) definida como doença sexualmente transmissível; a sífilis é definida como uma «doença venérea»; a clamídia é «doença ou infecção». Ora, o que é igual tem de ser tratado de forma igual, um princípio que vale para muita coisa, e certamente também para a lexicografia.

 

[Texto 11 768]

Helder Guégués às 09:29 | comentar | favorito