«Assassínio/assassinato»

Se eu percebesse

 

      O tradutor mandou o recado: prefere «“assassinato” a “assassínio” (ambas as palavras derivam de palavras estrangeiras, uma pelo francês, outra pelo italiano, mas, para mim, “assassinato” tem sempre conotação política, ao contrário de “assassínio”)». Não sei que conotação política seja essa. Alguém descortina o argumento subjacente? Há-de estar a confundir com outra questão, que nada tem que ver com esta, que é usar-se quase sempre (e porquê?) a expressão «assassinato de carácter» e não «assassínio de carácter», sendo quase sempre um político o visado. Pois, porquê? «Eram oito mil palavras de assassínio de carácter, um ato de vingança desprezível — e não só da parte da Odette» (Um Homem de Partes, David Lodge. Tradução de Francisco Agarez. Alfragide: Edições Asa II, 2013, p. 540).

 

[Texto 9830]

Helder Guégués às 09:14 | comentar | favorito | partilhar