Bacu

Muito bem

 

      «No Estádio Olímpico de Bacu, levou quatro minutos a marcar o primeiro e fez mais cinco nos restantes 86, construindo aquela que foi a maior goleada da época» («O Sporting de Keizer está a crescer depressa e bem», Marco Vaza, Público, 30.11.2018, p. 44).            

      É muito para espantar — e aplaudir, pois claro — que tenham decidido escrever assim este topónimo. Se estendessem a tudo o resto esta coerência, seria excelente.

 

            [Texto 10 383]

Helder Guégués às 19:35 | comentar | favorito