Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Linguagista

«Bem que podia»

É para cortar

 

      «A frase “Nunca pensámos viver este pesadelo — e o que vem aí pode ser pior” foi dita esta semana pela grega Katerina em Atenas na reportagem da enviada do PÚBLICO em Atenas, Maria João Guimarães. Mas bem que podia ter sido dita em 2001 por um qualquer argentino que nessa altura vivia dias muito parecidos com aqueles que estão hoje a ser vividos
 na Grécia» (do editorial do Público de hoje).

      A empregada da limpeza que tínhamos aqui do prédio (sim, a que padecia de «dores asiáticas») falava da mesma maneira. Seja expletivo ou não seja expletivo, não me parece digno de figurar num jornal, e em especial no seu editorial.

 

[Texto 6013]