«Biólogo/biologista»

Conhece-nos muito mal

 

      «A proposta mais estranha virá talvez da Rejuvenate Bio, uma startup norte-americana com investimento da Harvard Medical School que quer, segundo o biologista George Church, fazer as pessoas viverem até aos 130 anos num corpo de 22» («Está preparado para viver até aos 100 anos?», João Valente, Montepio, Verão de 2018, p. 10).

      João Valente foi atrás do inglês biologist, mas, desta vez, sem consequências indesejáveis: também temos «biologista». Devo, porém, dizer que nunca antes eu vira a palavra fora dos dicionários. O Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora de biologista remete simplesmente para biólogo, como de paleontologista remete para paleontólogo. No Facebook, esse grande repositório de desinformação e outras coisas piores, leio na página Nomes Científicos, de Rafael Rigolon, que «biólogo está tão correto quanto biologista», mas que é preciso atentar em alguns matizes: «O sufixo ‘-logista’ é uma influência da língua inglesa, que usa o sufixo ‘-logist’ (‘biologist, aracnologist’). Há uma preferência regional pelos sufixos. Em Portugal e outros países usam-se muito o ‘-logista’ (biologista, primatologista) e no Brasil o ‘-ólogo’ (biólogo, primatólogo).» Rafael Rigolon, só lhe digo que teve azar com o exemplo das «preferências» em Portugal.

 

[Texto 9829]

Helder Guégués às 19:00 | favorito
Etiquetas: ,