«Capitã Marvel»

Mas cuidado

 

      «Teve a melhor estreia de sempre de um filme protagonizado por uma mulher, no caso a oscarizada Brie Larson: 404 milhões de euros no mundo, 561 mil em Portugal. É de propósito que escrevo no feminino o título da obra, que foi mal traduzido no nosso país» («Capitã Marvel», Pedro Cordeiro, «Revista E»/Expresso, 16.03.2019, p. 10).

      Também eu, quando me deram a rever um editorial em que o autor usara o título Capitã Marvel, deixei passar, o que só pode ter um objectivo pedagógico, mas nada de abusos. Sim, deve dizer-se capitã, já o defendi mais de uma vez. (Mas não vão defendê-lo para nenhuma escola militar, por exemplo.) O título é mesmo Capitão Marvel. Isto faz-me lembrar uma prática muito estúpida dos que aplicam o AO90 e citam qualquer texto que não segue a mesma ortografia — seja porque o autor não é partidário deste abandalhamento da língua, seja porque escreveu, por exemplo, há cinquenta anos — e que eles afeiçoam às regras do AO90. Não podem fazer isso. Isso é tão criminoso como apropriarmo-nos de um texto alheio e fazê-lo passar por nosso. O meu espanto — enfim, relativo — é como permitem isto nas editoras.

 

[Texto 11 702]

Helder Guégués às 10:29 | comentar | favorito
Etiquetas: ,