«Chorar compulsivamente», outra vez

Aprendem? Não parece

 

      Na sua coluna «Excitações», na edição de hoje do Correio da Manhã, Alexandre Pais cita o cirurgião Eduardo Barroso: «Peseiro fez-me chorar compulsivamente.» Tudo para poder comentar: «E não te admires muito se a choradeira continuar...» Com tanta escolha, tinha logo de trazer uma citação com um erro colossal como este, e esta é a hipótese mais benigna, porque, sendo jornalista, não é improvável que o erro seja de Alexandre Pais. Vou citar um textinho meu com mais de quatro anos: «Um erro que vejo de seis em seis meses (vá lá): alguém que desaba num “choro compulsivo”... Enfim, há de tudo neste mundo. Mas não: é choro convulsivo (convulsive crying, para a legião de anglófonos que nos segue). E sabiam que “ranho”, que vem do árabe, significa precisamente “choro convulsivo”? Porque o choro violento leva à emissão de abundantes secreções nasais, pois claro.» Excitam-se, mas não aprendem.

 

[Texto 9627]

Helder Guégués às 10:24 | favorito
Etiquetas: ,